Com Agulhas

Eu gosto de escrever, de inventar uns diálogos loucos em jantares imaginários. Eu gosto de roupas, invento uns modelos e luto pra dar as luzes, partos difíceis esses, idéias. Gosto de comprar roupas e sapatos, futilidades não, estilo próprio; não sou uma fashion victim - a vida é demasiado curta pra rótulos e embalagens estragadas. Eu gosto de café, de canecas e de planos de casamento. Gosto de mim, contudo e com tudo.

Com Canetas

Eu tenho um dois à esquerda na idade, mas não acho que sou tão velha. Chamo minha gata de nenê e dou apelidos adoráveis ao meu namorado. Eu tricoto porque me acalma, produzindo, me agradam as cores das lãs. Eu amo porque não vivo no gris, amor vivo, amo pessoas e filmes e livros e bichos. Eu tenho o Heitor, já me basta de tanto amor. Eu adoro a língua francesa, adoro as idéias parisienses e as boinas e os cafés.

Eu dormi!!!

Eu dormi!!!
Sei que pode parecer inútil fazer tal afirmação com tamanhas exclamações (nem exagerei tanto dessa vez, só usei três), mas os clichês valem nesse caso. Quando não se consegue dormir, percebemos por que dormimos... Muitas pessoas reclamam, quanto tempo intelectualmente produtivo se perde dormindo! Mas, quando não se dorme, nada é produtivo. A cabeça dói, os olhos ardem, a fome não passa, o peso no pescoço...
Há 8 dias eu não dormia mais que duas horas por noite, desesperadora situação: apagam-se as luzes, regulariza-se a respiração pesada do irmão, minha gata ressona aos meus pés. Mas meu cérebro não pára. E, quando as luzes voltam na manhã, meus olhos cansados se fecham. E sua reabertura acontece quando os ruídos da casa começam. e eles só se fecham de novo às luzes do próximo amanhecer.
As coisas da minha casa me desesperam, me exasperam. Mas, depois de uma conversa com minha mãe, me deitei.
Depois da primeira derrota do Grêmio em dezenove jogos... Acho que me acalmei com o gol do Róger aos quarenta e três minutos do segundo tempo, porque me deitei e dormi.
Dormi por inteiras, intensas e preguiçosas sete horas!!!
E hoje me sinto capaz de várias coisas, como me deitar e dormir de novo à noite.
Estou mais calma, menos tortuoso cérebro.

Kate Nash é bem legal, gostei mais do que imaginei... Identifiquei-me com fragmentos, especialmente com "Mouthwash".
Meu passado relacionamentístico pré-Heitor se identifica com "Nicest Thing" e "We get On".

Com o Heitor, "Birds" e "Little Red".

E somos parecidas porque ela tem sardas e não é exatamente magrinha ^^

Mais tarde eu posto outras coisas, por enquanto repetirei-me ao proclamar: Eu dormi!!!

(\(\

2 Moedas no Cofrinho:

  1. Lauro I. Quadrado disse...
     

    dormir é bom! :D
    e que joguinho bem sem graça aquele... eaoihioaehae

  2. Frau Dias disse...
     

    Lorazepan... tomo todas as noites e durmo como um bebê.
    Jogo?! Que horror!
    Kate, tenho que baixar (=

Postar um comentário