Com Agulhas

Eu gosto de escrever, de inventar uns diálogos loucos em jantares imaginários. Eu gosto de roupas, invento uns modelos e luto pra dar as luzes, partos difíceis esses, idéias. Gosto de comprar roupas e sapatos, futilidades não, estilo próprio; não sou uma fashion victim - a vida é demasiado curta pra rótulos e embalagens estragadas. Eu gosto de café, de canecas e de planos de casamento. Gosto de mim, contudo e com tudo.

Com Canetas

Eu tenho um dois à esquerda na idade, mas não acho que sou tão velha. Chamo minha gata de nenê e dou apelidos adoráveis ao meu namorado. Eu tricoto porque me acalma, produzindo, me agradam as cores das lãs. Eu amo porque não vivo no gris, amor vivo, amo pessoas e filmes e livros e bichos. Eu tenho o Heitor, já me basta de tanto amor. Eu adoro a língua francesa, adoro as idéias parisienses e as boinas e os cafés.

O dia do "Quase"

Hoje teve confusão. Empurra-empurra, spray de pimenta no nariz da Marília, calor e o magnífico (ui) reitor sendo protegido – garanto que ele gostou do contato e do calor humano dos brutamontes policiais, o Johnson dele deve ter ficado feliz – pra assumir um cargo ao qual seu direito é bem questionável.

Aqui na frente do prédio, porque aquele maricón é meu vizinho, polícia federal chegando e buzinas, eu quase saí na rua pra protestar – por que, não me perguntem, eu nem estudo na UFPel e nem sei de nada - , mas foi nesse momento que o laptop do reitor chegou ao meu apartamento. Muito pequeno, tecnológico, prateadamente imponente. No meio da confusão, a autoridade máxima da universidade entregou o computador ao zelador, que colocou no elevador, no qual estava a minha mãe com o pão, mamãe atordoada essa que tomou nos braços o computador do venerável gerador de empregos e favorecimento e chegou a casa sem saber o que fazer com tamanha importância.

E eu corri, queria ser antiética, queria roubar informações com o meu charmoso pendrive uruguaio, queria escrever um texto adoravelmente jornalístico, cheio de grandiloqüências e exageros hiperbólicos, mas a mamãe me impediu com um simples argumento: trouxe agulhas novas de tricô e só vou te deixar usá-las se não fuçares nesse computador.

Dividida, angustiada, desamparada... À direita as agulhas, à esquerda o laptop... No entanto, pior dos piores, à minha frente os olhos de desaprovação da minha mãe ante a minha titubeação histórica.

Fui pelo caminho certo, pelo direito, peguei as agulhas e fui tricotar uma estola.

Só depois minha mãe me disse: Por que não escolheste o laptop?

Acho que o tricô falou mais alto... Aff Iarima!!!

Au revoir e desculpem pelos transtornos...

8 Moedas no Cofrinho:

  1. Cogumela =) disse...
     

    HAUAHAUHAUAHU!

    Adorei o texto mas, no meu caso teria mexido mesmo...
    1) não sei tricotar
    2)vá que tivesse fotos eróticas daquele pequero hobti.

    ou

    3)(e a melhor de todas) revelações sobre as salas do ângulo, sobre o furo financeiro nas fundações ou coisas reacionárias como: "o telefone do gatéééénho daquela noite?!" Ui! ^^

    (isso dá processo heim!!!!)

    hauahuahauahua (risada nervosa)

    beijos

  2. Moisés Corrêa disse...
     

    Que coisa nao... E vc nem pra me chamar :P

    Eu poderia mexer no computador oras...

    E quem disse que seria crime, afinal, ele deixou o computador com vc neh? Se nao quisesse que olhassem colocaria uma senha...

    Je t'aime, mon ami!
    Ateh mais

  3. Aline Dias disse...
     

    Tche! (vou escrever assim)
    Eu me cago rindo (falei que ía escrever assim).
    Mas que bosta!!!
    Rouba o leptop e manda as informações pra CIA ou pro CSI.

    HUEHDUEHDUEDHUEDHUEHDUED

  4. Cris Andersen disse...
     

    Pow... uma situação privilegiada com a oportuniade de conhecer as obscuridades virtuais da autridade máxima da UFPel... e tu desperdiça assim, por agulhas de tricô!!

    Se eu soubesse teria te comprado um conjunto de agulhas e lãs novas...


    ^^



    E é... daqui a pouco nem eu farei medicina. Não mais.

  5. Conde Vlad Drakuléa disse...
     

    Huáhuáhuá, excelente Cogumela, e o Moisés não deixa de ter razão, eu já faria o que a Aline disse exceto que também mandaria para a VEJA e a ISTOÉ, huáhuáhuá, já pensou, a photo dele naquela boite com os 'gatenho', huáhuáhuá, e a Cris também estava ótima, e eu espero que ela não desista da Medicina pois ela terá sucesso em tudo o que fizer, já esse reitor o negócio dele é desistir mesmo pois se a maioria dos alunos e alunas são contra ele! então minha belle tecelã foi vencida pelas agulhas? Fosse tu uma jornalista e pronto! Era só comprar umas agulhas e lãs novas prá Iarimá não comprometer ninguém, huáhuáhuá, sua mãe mostrou te conhecer muito e adorei ela, muito engraçada e correta! Aliás, vou amanhã mesmo te comprar agulhas e lã e te mando pelo correio, quem sabes não tricotas nada para mim? Estou sossegado, meu último laptop morcego já saiu voando pela janela faz tempo e sei que me adoras e não contarias que uso cuecas samba-canção com morceguinhos iguais ao Batman, afinal, eu sou muito morto e não conto nada mesmo... Adorei, um dos melhores e mais engraçados posts que escreves-tes!!!
    Bravo!!! Bis!!!
    Beijos do conde e abraço para monsieur Heitor!
    Nhac,nhac,nhac :
    Voei!

  6. Heitor "Pimenta" disse...
      Este comentário foi removido pelo autor.
  7. Heitor "Pimenta" disse...
     

    Ah.. Se for pensar, foi até melhor não ter bisbilhotado... Criou-se toda aquela aura de mistério em volta do notebook do reitor... :P
    Porque eu tenho certeza de que se tu fosse tentar ligar o computador iria aparecer aquela tela gigante de logon do windows escrita "Digite aqui sua senha"...
    haeuheauaehueahe

    Enfim... Se tu ficaste enjoada com Brokeback Mountain, imagina só como seria com o vislumbre das fotinhos do Reitor..
    :P

    Beijinhos..

    Te amo muito infinito..

    Daqui a pouco tô aí..
    ;)

  8. Cogumela =) disse...
     

    Sou eu sim!
    Ele era meu colega...agora está desmodulado.

    É uma rica criaturinha aquele coala. ^^

    Td bem contigo?

    beijo!

Postar um comentário