Com Agulhas

Eu gosto de escrever, de inventar uns diálogos loucos em jantares imaginários. Eu gosto de roupas, invento uns modelos e luto pra dar as luzes, partos difíceis esses, idéias. Gosto de comprar roupas e sapatos, futilidades não, estilo próprio; não sou uma fashion victim - a vida é demasiado curta pra rótulos e embalagens estragadas. Eu gosto de café, de canecas e de planos de casamento. Gosto de mim, contudo e com tudo.

Com Canetas

Eu tenho um dois à esquerda na idade, mas não acho que sou tão velha. Chamo minha gata de nenê e dou apelidos adoráveis ao meu namorado. Eu tricoto porque me acalma, produzindo, me agradam as cores das lãs. Eu amo porque não vivo no gris, amor vivo, amo pessoas e filmes e livros e bichos. Eu tenho o Heitor, já me basta de tanto amor. Eu adoro a língua francesa, adoro as idéias parisienses e as boinas e os cafés.

Feira do Livro

   Hoje eu saí de casa às oito da manhã e vi a praça. Uma certa nostalgia se apoderou de mim ao ver os balaios, as bancas, os tapumes brancos que encheram a praça de letras e parágrafos, muitas pessoas que normalmente não passeiam por ali se refestelaram nesses últimos dezessete dias. É estranho ver todo mundo se espremendo na frente da minha casa pra ver livros, chega a ser insólito. Pessoas que não possuem hábitos regulares de leitura, que não costumas passar horas preguiçosas em livrarias andando entre os estandes...
   Mas agora acabou, as livrarias retiram seus livros, os operários desmontam as banquinhas e eu me sento no redondo da frente do Sete de Abril mais uma vez, mas sozinha agora. A Feira sempre me viu acompanhada, me viu com a minha pessoa predileta entre todas - de mãos dadas e vendo os livros queridos que me reconfortam em horas de decisões difíceis, antes de todas as saudades que sempre se seguem às pequenas viagens à rodoviária... - , me viu com o meu melhor amigo, com amigas novas que são muito queridas... Revi amigos velhos de bebedeiras vespertinas (ok, o único amigo velho de bebedeiras vespertinas), gente do CEFET, o Mr. Mime e a Roberta... Agora as coisas voltam ao comum, mas nem tão comum.
   A Feira se vai, mas a Praça continua. Eu ganhei livros e comprei presentes lá, ganhei e dei beijos e abraços.
   Ainda verei a Aline e a Scheila, falarei muito com o Moisés e o Heitor é o constante deleite da minha vidinha de tricoteira desocupada (calor não permite o tricô). Porém a melancolia pós-Feira é inevitável ao ver seus resquícios sendo apagados dia após dia toda vez que saio do apartamento, ao comprar pão ou ir ao correio, ao ir à casa do Moisés ou ao Café.com.
   Acho que vou precisar de caminhos alternativos.

8 Moedas no Cofrinho:

  1. Moisés Corrêa disse...
     

    Todos precisamos de caminhos alternativos... Pelo menos ano que vem tu tera a feira, eu terei que redescobrir o que esperar a cada ano.

    Nao, nao estou triste por isso, mas preocupado.

    Saiba que ainda sairemos muito pelas feiras dos livros por todo mundo ^^ Isso que amigos fazem, permanecem ligados, mesmo que o tempo e o espaço lutem contra eles.

    A feira acaba, o espirito dela continua

  2. Cris Andersen disse...
     

    E nós não fomos à feira.
    E todas essas mudanças a caminho me assustam.

  3. Aline Dias disse...
     

    Nós faremos muitos caminhos alternativos, por exemplo: até minha casa, existem várias formas de chegar aqui x)
    beudbeudbuedbued

    Foram ótimos os dias de feira, os rapidinhos e os que ficamos mais tempo juntas, principalmente depois de eu conhecer a figura que é o Moisés, dia muito divertido.

    Beijo-Iaia ;***

  4. Conde Vlad Drakuléa disse...
     

    Dará tudo certo Iari, essa melancolia passa... Pelo menos podes ter a companhia deles em pessoa, tua vida é cheia de sol minha amiga, aproveite e viva, e sorria, e leia e tricoteie... Grandes amigos, gostosos livros, e uma cidade bela...
    Um dia consigo chegar até aí...
    Beijos do conde e abraços para todos aí ^^

    Voei...

  5. Cláudia I, Vetter disse...
     

    Ah, eu queria passear por aí!

    ;,)

  6. Moisés Corrêa disse...
     

    Naaaice!

    Pamêla! Da womán of mai laife

  7. Moisés Corrêa disse...
     

    Posta, sua coisa...
    Nao aguento esperar mais, coisa...
    PARA DE JOGAR E POSTA, coisa
    Coisa

    Se nao te prendo em alguma cadeira e te obrigo a ver a bunda do gordao amigo do borat ateh tu ter uma sincope.

  8. Beta! disse...
     

    yeah... eu li meu nome ali \o/

    ainda estou com teu alfajor... deve estar derretido uma hora dessas, coitado =/

    ah, eu preciso de sugestões de livros pra ler nas férias, sei que tu és a melhor pessoa pra isso!

    muitos, muitos livros!!!

    beijos menina

Postar um comentário